JOGOS VÍDEOS IMAGENS
Shopping: | Consoles | MP3 Player | Card Games | Notebook | Celular | Jogos | Animes | Harry Potter | Ben 10 | Super Mario | Star Wars |

Contato do Blog WiiClube
Para enviar dicas, sugestões, críticas ou dúvidas ao Blog, mande um e-mail para pellican@wiiclube.com.br

Pesquisar no Blog

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos

Categorias

RSS Bitpop

Meta


.

Warren Spector não está nada satisfeito com a ultraviolência nos games – e você?

“Bem, meu senso de aranha indica perigo, perigo, perigo, Peter Parker! Esse é o ano em que duas coisas ficaram claras pra mim. Uma é que a ultraviolência precisa parar. Temos que parar de gostar disso. Eu não acredito que isso cause efeitos nas pessoas, mas acredito que estamos tratando a violência como fetiche, e em alguns casos combinando-a com uma visão adolescente da sexualidade. Acho que é de extremo mau gosto. E um dia acho que isso nos causará problemas.

Fomos longe demais. Os espirros de sangue em slow-motion, os desmembramentos por assassinos, as facas, os ombros, cotovelos na garganta. Sabe, Deus Ex teve seus momentos de violência, mas eles foram criados para deixar você desconfortável – se deu certo ou não eu não posso dizer – mas não vejo esse tipo de objetivo hoje em dia. Acho que estamos simplesmente apelando para conceitos adolescentes e chamando-os de maduros. Chegou a hora de parar. Fico muito feliz de trabalhar em uma empresa como a Disney, onde não só é um lugar em que isso não é encorajado mas onde você nem pode fazer. E estou satisfeito com isso.” – Warren Spector

Concordo muito com Warren. Vejo liberdade para qualquer um criar e jogar o que quiser, mas temos um excesso de conteúdo bem na linha que ele descreveu.

Via GameIndustry

 

Share
Pellicano | 15 de junho de 2012 | 17:57 | Notícias []
  • Vinícius

    Na real não vejo graça alguma concordo com ele! É violência desnecessária chegando a ser uma falta de criatividade imensa apelar SEMPRE para a violência.

    São rarissimos os games de produtoras grandes que vemos que utilizam a criatividade acima de tudo vide Rayman Origens… qual outro game de produtora grande que se equipara a ele?

    (Tirando a Nintendo claro)

  • Zelgaf

    Também concordo, não estou dizendo que não deve haver games violentos, nada a ver, só estou dizendo que virou apelação tudo tem que ser a base de violencia ou sexo, criatividade que é bom nada.

    Como eu disse não é algo que eu ache que deva ser extinto, jogos como Zelda e Metroid por exemplo eu acho que deveriam ganhar uma pequena dose desse teor, mas nada de decaptações, banhos de sangue, mas ter ferimentos e sangramentos moderados.

    Claro que não precisa, mas pra essa por exemplo combina desde que não seja de forma exagerada e apelativa.

  • Filipe

    Tambem nao gosto de sangue em videogames. Nada contra, mas abusam muito desse efeito. Me deixa desconfortavel.

  • Ricardo VS13Mk

    O problema todo começou qdo os jogos de videogame deixaram de ser somente jogos de videogame e passaram a ter titulos de hardcore e casual, dividindo a massa de quem curte games em geral, pq normalmente quem é “hardcore” gosta mais desse tipo de jogo mais “violento” e etc., enquanto q os “casuais” jogam Mario e jogos estilo Party e Dance.
    Sem falar q violencia sempre gera audiencia e isso desde q o mundo é mundo, e acho q ñ seria diferente com os games, mais acho q esse racha foi um dos fatores q mais marcaram essa debandada desses jogos mais “hardcore”, um exemplo é Ninja Gaiden, no nes, vc ñ via uma gota de sangue ou esquartejamento, na versão atual, só falta o sangue escorrer da tela do televisor..rere
    Só acho q deve haver um meio termo, e se fizer parte do contexto e da historia do jogo, tanto q vão colocar uma cena de um suposto estupro no novo jogo da Lara Croft, acho q realismo demais, acaba com a magia q os games tem.

  • http://wiiclube.com/comunidade_index.php?pgID=7349ebb36bf0236a&mID=983 Nebel Spieluhr

    Bem, o que posso dizer depois disso? Ele já disse tudo. º_º

    Acho que essa frase resume tudo:

    “Eu não acredito que isso cause efeitos nas pessoas, mas acredito que estamos tratando a violência como fetiche, e em alguns casos combinando-a com uma visão adolescente da sexualidade.”

  • http://www.naointendo.com.br mark

    Concordo com o Warren Spector: essa história de colocar litros de sangue jorrando em um jogo com um pretexto de deixá-lo maduro está banalizando a violência. Não sou contra os jogos violentos, mas sou contra o excesso de jogos do gênero. Seria uma boa as empresas cessarem um pouco o sangue e procurar fazer jogos mais criativos e originais, que não precisam usar pretextos como exagero de sangue, por exemplo.

  • hugo

    Nao poderia concordar mais. Quando a gente assiste a apresentação da sony e microsoft nas E3 da vida parece que estamos vendo o mesmo jogo de novo e de novo. Espero que diminuam e muito este banho de sangue dos games atuais.

  • THIAGO_MARTINS

    O Warren está absolutamente certo. Estes tais “jogos maduros” são os mais adolescentes que existem, pois se formos parar para pensar, o gênero preferido por adolescentes em filmes, livros e etc, são extamente sexo, violência e terror, ou seja, o chamados “jogos adultos” acabam deixando de ser adultos e passam a se tornar algo mais adolescentes, e isto se nota pela “irrealidade da realidade”, afinal o banho de sangue causa tanta euforia, que é possível ver nos jogos sangue jorrando do corpo da pessoa quando ela leva um tiro no braço, por exemplo. Então se fosse depender de jogos, o corpo do ser humano é uma bolha de sangue sem nenhuma carne ou osso? Alguém aí já viu em Ninja Gaidem ou Metal Gear Rising algum órgão ou osso no corpo da pessoa após o corte? As produtoras exageram tanto no sangue, que tem alguns casos onde até mesmo máquinas jorram sangue, e acho que este exagero precisa cessar.

  • Rafael

    Concordo com ele também!

  • Ângelo

    Por isso jogo Mario, Zelda, Kirby, Donkey Kong, ta tudo certo kkkk’

  • Adoniran Moraes

    Se está deste jeito é porque nos gostamos. Caso contrario não haveria esses tantos!

  • Scorpion

    Plenamente de acordo. Amigos e familiares meus que dão aulas para alunos de ensino técnico e universitário veem claramente o comportamento dessa geração sendo completamente influenciado por esse tipo de conteúdo; ridicularizar as pessoas em público virou moda e quebrar os dentes ou cortar uma pessoa simplesmente pra fazer uma graça virou atração. Pena que não percebem a idiotice antes, só depois que fazem a besteira; aí já é tarde e quase uma vida toda comprometida por comportamentos contínuos de imbecilidade.

    Assino embaixo o que Spector disse.

  • JoãoFNeto

    Simplesmente perfeito o comentário de Warrern.

    Não há problemas em ter alguma violência nos jogos, mas deve-se ater ato fato de que os jogos devem visar a diversão e a satisfação do jogador. Quando a violência passa a ser o foco principal do jogo, aí realmente há algo de errado. E o que temos nos consoles de mesa hoje em dia é uma preocupação estúpida de mostrar violência em HD. Não interessa se o jogo presta, mas sim que tenha sangue e violência desnecessária.

    Uma série que me deixou muito triste foi God of War. O 1 foi excelente, mas entre o início e o fim da trilogia, foi se perdendo o elo com o enredo principal, a história de Kratos, e priorizando as atrocidades que ele pratica. Há algumas mortes realmente desnecessárias no GoW3.

    Espero que as softhouses percebam isso a tempo, antes de destruírem outras franquias.

  • Wibby

    Acho até imbecil dizer que esses tipos de games são adultos, me poupe né, adultos gostam de conteúdos muito melhores, e ainda mais dizer que games assim são hardcore, affs, meo sabe o que é um game super Hardcore? Mother 3 e Earthbound!

  • Gilmar

    “Acho que estamos simplesmente apelando para conceitos adolescentes e chamando-os de maduros.”

    Sintetizou tudo só com essa frase. Adultos de verdade são os que são capazes de apreciar a sutileza de um Heavy rain ou o brilhantismo de um Super Mario Galaxy. Quem acha que um jogo bom somente pelo fato de ser possível arrancar os membros de alguém e espancar o infeliz com eles, ou é um adolescente ou é um adulto com a mente de um.

  • Paulo Eduardo

    16 comentários com a mesma opinião, simplesmente PERFEITO.

    Depois dizem que a NINTENDO é infantil e está no caminho errado…

    …´´NINTENDO SEMPRE“…

  • Matheus M.

    Deve haver jogos adultos e violentos, mas na massa em que está hoje, ficou até sem graça comprar um jogo. Está repetitivo demais um jogo com o mesmo conteúdo dos outros: sangue, morte, sexo, roubo e violência, tudo em leva estrondosamente exagerados! Não estou dizendo que não deva ter, precisa pois mostra uma outra visão de jogo, mas do jeito que hoje está, ficou muito repetitivo. O que falta é criatividade, e quando não tem, colocam sangue.

  • rod

    hahahahaha vcs são realmente fãn boys da nintendo. todo e qualquer jogo de outra marca vai ser repetitivo, sem graça, sem criatividade e assim por diante. não importa se a nintendo faz 200 jogos ruins e 10 bons pro wii (figurativamente falando). não ligo muito pra sangue e violência, gosto de jogos com boas histórias e longos como rpg’s e quando estou afim de jogar valendo sempre recorro ao nes ou ds. será que não é hora de pararmos com a hipocrisia que o fanatismo cego propõem e aceitarmos que cada um tem seu estilo de jogo preferido e deixar por isso mesmo, sem zombarias ou críticas deveras pífias. não precisamos ser condescendente aos outros, temos direito a ter opiniões próprias e não as cultivadas por empresa A ou empresa X.

  • Gilmar

    @Rod

    Pelo menos no meu comentário, fiz questão de ressaltar a qualidade de heavy Rain, jogo da Quantic Dream publicado pela Sony exclusivo pra PS3 que é brilhante e que usa violência de acordo com o contexto. Esse jogo merecidamente pode ser chamado de maduro. E só porque os demais citaram somente jogos da Nintendo, o argumento deles não se torna inválido. Estamos em um blog que fala sobre Nintendo, é natural que as pessoas tenham mais conhecimento sobre os jogos da empresa.

  • Andre

    nao consigo ver graca em um Mortal Kombat sem violencia, e amoooo os fatalitys!

  • JoãoFNeto

    @Rod

    Claro que todos temos o direito de termos nossas opiniões próprias. Se você prestar atenção direito, verá que os usuários expressaram sua opinião e não “impuseram” uma “verdade cega”. Você é que aparentemente não aceitou as opiniões dos outros e chamou de “fanatismo cego” o fato de pessoas expressarem opiniões diferentes da sua. Não há “hipocrisia” em não concordar com a opinião de outra pessoa. Há apenas opiniões diferentes.

    Eu jogo jogos violentos como Mortal Kombat, God of War, etc. Mas acho que a aplicação da violência nos jogos tem de ser repensada, pois como eu disse acima, está deixando de ser um “acessório” para se tornar o “foco principal” do jogo e está sendo banalizada por isso. Parece que existe uma concorrência em mostrar o jogo “mais violento” e não o jogo “mais legal”.

    E há jogos violentos na Nintendo, antes que você ache que estou me referindo a empresas. MadWorld no Wii é um exemplo de jogo extremamente violento.

  • Anderson Rodrigues

    @rod

    O termo é “fanboy” e não fãn boys. E o termo acho que se aplica mais a você que aos outros comentários, sinceramente ninguém estava falando mal de empresa alguma nesse post até você entrar na conversa. Inclusive a matéria é bem clara, o que Warren Spector critica é a ultraviolência. Mario tem como objetivo matar seus inimigos, Link também, até o Kirby faz isso, não teriamos jogos de luta sem uso de violência. O problema é o uso da violência exagerada como único atrativo de um jogo, e alguns comentários citaram isso. Seja mais tolerante com os fãs da Nintendo num site dedicado à Nintendo você que trouxe zombarias (seu comentário começa com um “hahaha”) e críticas pífias (e mal escrita) para os comentários que estavam indo num clima tão bom.

  • rod

    @Anderson Rodrigues
    realmente, o começo do meu comentário foi desnecessário. me desculpe por isso. correção anotada sobre fanboy. mas realmente acho que se a relação da nintendo com jogos violentos fosse outra, muitas pessoas estariam defendendo a mesma idéia. sou fã da nintendo também, mas não preciso gostar de tudo que ela faz.

  • THIAGO_MARTINS

    @rod
    Mas não jogamos só jogos da Nintendo meu caro gafonhoto, não se esqueça que no Wii temos Madworld, No More Heroes, Mortal Kombat, Call of Dutty, Zangeki no Reginleiv, Dead Space Extraction e até Manhut e Bully, e muitos aqui já jogaram estes jogos, fora outros jogos violentos que já se passaram nos consoles anteriores da Nintendo. Portanto até mesmo que vive de consoles Nintendo, conhece a violência nos games, e cabe a esta pessoa o livre direito de gostar ou não dela. Não é porque a Nintendo não faz jogos violentos, que significa que os consumidores dela não jogam estes jogos, e já vi até mesmo, donos de PC, e PS360 compartilharem da mesma idéia do Warren.

  • Scorpion

    Para quem tiver tempo E INTERESSE, deem uma lida na revista da ACIGAMES. Há um artigo que trata justamente sobre a repetição das mecânicas de jogo atualmente, apenas mundando a embalagem. Nessa mecânica, está inclusa a maioria dos jogos chamados “hardcore”… pff.

  • Bee

    Achei a colocação dele brilhante. E não é falso moralismo. A violência nos jogos está tão banalizada quanto o sexo na tv. No meu tempo (rs…) a violência limitava-se ao Mortal Kombat. E mesmo assim, era algo tão bizarro que chegava a ser engraçado. Hoje o Marcus se aproxima de um Locust e DO NADA a arma dele dá lugar a uma serra elétrica que parte o bicho no meio e voa sangue na tela inteira. Desnecessário? Na minha humilde opinião, sim. Não é isso que vai tornar o jogo mais ou menos divertido.

..

Destaques do Blog


| sobre o site | fale conosco | site criado e produzido por estúdio helme | 2009 todos os direitos reservados | WebTV |
Bitpop: Jogos Vídeos Imagens Passatempo Ilustração